TratBem Blog – Tratbem

O seu canal de interação com o Tratbem

A missão do cigarro

Decisão

 

Fumar, em outras épocas, era sinônimo de classe, elegância, status e, até mesmo, para os homens, indicativo de masculinidade. Passados os anos, os malefícios do cigarro se propagaram, trazendo a informação para todos os fumantes do teor do que se põe para dentro, seja quanto ao aspecto químico como quanto à diminuição da perspectiva de vida.

Ora, se a conscientização fosse suficiente para bloquear o ato de fumar, não se falaria na dificuldade que é para cessar o tabagismo. Há quem deseje se despedir dessa relação visceral com o cigarro, mas não consegue estabelecer essa meta com êxito possivelmente porque este “personagem” possui um simbolismo muito maior do que a própria consciência admite.

Quando se interroga sobre a função do cigarro na vida dos fumantes, muitos respondem como sendo uma “companhia”, “distração”, “passatempo”, “calmante” etc. Traduzindo de uma maneira superficial, buscam eliminar angústias nas fumaças dissipadas, com a recompensa que o prazer da nicotina prontamente traz. No entanto, o lado tóxico não se manifesta com a mesma rapidez e, em franca desvantagem, cai no esquecimento.

Para a Psicanálise, esse “esquecimento” que muitos ignoram quanto aos malefícios do tabagismo é tido como um processo destrutivo velado, ou seja, como o fumante encontra no cigarro um representante para eliminar tristeza, preocupação, stress, entre outros sentimentos, ele oferece seu próprio corpo como depositário de uma carga tóxica, sofrendo, com o passar dos anos, os efeitos colaterais dessas substâncias. Em contrapartida, exime-o de elaborar tais angústias de forma mais profunda e que demande dele um comprometimento maior com sua vida e sua saúde.

Com isso, a proposta original do TratBem visa a acolher aqueles que desejam criar um pacto consigo e que estejam determinados a vivenciar uma nova etapa em suas vidas. A equipe de saúde, séria e competente, está preparada para acompanhar essa decisão tão importante do participante.

 

Foto: Divulgação

Por Marcela Ranier, psicóloga do TratBem.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *